2º dia do congresso diocesano da Juventudes 2023

Dia 28/10/ 2023-Segundo dia de Congresso foi iniciado às 7h com a animação musical,  café da manhã, e logo em seguida a oração conduzida pela Forania São Lucas. Os animadores motivaram para o momento da temática:Diversidades Vocacionais tendo como mediador o jovem Thaylon Maciel França e formou a mesa representantes das diversas vocações – padre, religiosa, seminarista, diácono permanente, universitário e uma jovem indígena. Através da dinâmica da cuia vocacional aconteceu a interação dos congressistas com os representantes da mesa no qual surgiram os seguintes questionamentos: O padre foi questionado sobre: Colocando-se no lugar nos jovens de hoje, teria escolhido o sacerdócio? Ao universitário foi perguntado: Como conciliar a vida eclesial com a universitária? A religiosa foi questionada: Como viver a sua vocação em meios aos desafios do tempo mesmo sendo jovem?

A próxima pergunta foi direcionada para a jovem indígena Laiza: Quais os desafios dos jovens indígenas e da sua realidade? Para o seminarista Davi: Nos fale três coisas que te fazem permanecer no seminário?  Ao Diácono Roberto: Como o senhor trata os assuntos relacionados a vida do jovem com os seus filhos? O encontro seguiu com um lanche.

 Após o lanche aconteceu a apresentação da Forania São Mateus com uma dança e, em seguida uma apresentação sobre o cuidado com a vida pela Forania São Lucas contando sobre as lendas locais através de uma coreografia.

A palestrante Psicóloga Elayne Cristina, desenvolveu a temática: Um olhar para o cuidado com a vida, destacando: A importância de fazer memória, porque cada um têm sua história e pertencemos a algum lugar e quando a esquecemos nos sentimos perdidos. Hoje, muitos jovens não sabem o que querem e só vão aceitando as coisas. O jovem precisa olhar para si porque um dia o corpo vai dar sinal de que precisa de cuidados. É preciso refletir: Eu estou bem? Será que eu me percebo como eu estou me sentindo? E levantou questionamentos aos jovens: O que trouxe vocês aqui em termos de motivação? Por que vocês estão aqui? Isso tem a ver com sentido, porque isso trazsentido em nossa vida. Hoje percebemos que quando se trata de sentidos para a vida do jovem, temos um grande desafio de adoecimento. As pesquisas apontam que a saúde do jovem é regular e péssima como: Dificuldade de concentração, pensamentos negativos, crise de ansiedade e depressão, sendo mais presentes nas mulheres. Os jovens na plateia se manifestaram com perguntas sobre: Por que há uma resistência em oferecer psicólogo para as terras indígenas? Por que as pessoas da comunidade também passam por diversos desafios, por que todos nós estamos impactados por esse meio tecnológicos? A psicóloga explicou que precisa ser uma luta de todos os povos  a serem assistidos por profissionais trabalhando em relação com a saúde mental. A pós pandemia veio à tona inúmeras emoções e, então fica o desafio de termos esse olhar do cuidado com a vida. A dimensão do sofrimento das pessoas vai muito além do nosso olhar, e se eu não consigo expressar, uma hora isso pode explodir ou implodir. Precisamos ter sentido, projeto de vida, mesmo com muita dificuldade para segui-lo, mais quando você tem meta e você participa da igreja como um jovem que cultiva a oração e os ensinamentos de Jesus, você vai passar pelas dificuldades de uma outra forma, mais a forma com que eu vou lidar, vai ser diferente, aí é que está a diferença mental em nossas comunidades. Outra fala no plenário foi em relação aos meios tecnológicos: Passamos a maior parte do tempo conectados, e a juventude está sendo influenciada por esses meios de comunicações, que vai se tornando parte de nós.

A palestrante afirma que as tecnologias são importantes, mas é preciso ter medidas moderadas, então cabe um processo que pode ser tratado como uma forma coletiva, em todos os espaços, como na família, na escola, na igreja. Como estamos gastando o tempo da nossa vida? Não podemos deixar de ser protagonistas, é preciso ter noção de tempo para que setenha uma saúde mental saudável e, assim fortalecer minha autoestima, a minha identidade e minha fé. Então,utilizem as redes sociais para que vocês possam se comunicar, estudar e se desenvolver melhor. A palestrante finalizou com o refrão: O som do teu amor, me faz canção em mim em nós, dança suave e luz em mim em nós.

Na tarde, o encontro deu início às 13h com a equipe de animação Cleisiane e Diogo e, em seguida foram realizados os encaminhamentos para as oficinas com os coordenadores Irmã Silvana e Diogo Cantalice. Foram trabalhados durante as OFICINAS os seguintes temas: Juventude e Discipulado, Juventude e Missão; Projeto de Vida; Teatro e evangelização; Juventude e tecnologia; Juventude e Liderança; Assessoria para a juventude; Juventude e Vícios; Espiritualidade e corporeidade; Juventude e ecologia;  Família e a juventude; Grupos de Jovens e seus processos; Espaço de formação vocacional; Grupos de Jovens e seus processos e Família como igreja evangelizadora.  Depois das oficinas os jovens Juan Diego Grana e Luanda Laborda conduziram o momento de animação seguido do lanche.

Em seguida foi realizado aConstrução de linhas de ações para a juventude da Diocese, um olhar por Paróquia. Essas linhas de ações foram construídas a partir do que foi refletido nas oficinase durante o congresso.

Às 19h foi oferecido o jantar e apresentação cultural com agradecimentos aos palestrantese o show com o DJ João Carlos para divertir a juventude diocesana.

Compartilhe:

Posts Relacionados

Nos Envia uma Notícia