Cáritas na Diocese de Borba

A fé sem obras é morta (Tg 2, 26)

“Caridade, amor ao próximo, solidariedade, escuta às dores alheias…” foram uns dos conceitos atribuídos ao significado de CÁRITAS. Assim pontuou a Articuladora do Regional Norte l, Márcia Maria, no evento diocesano que objetivou a institucionalização e fortalecimento das Cáritas na diocese de Borba. O encontro contou com representantes das quatro Foranias existentes na diocese.

A formação trouxe o histórico das Cáritas no Brasil e no mundo. Onde sua origem está na ação mobilizadora de Dom Helder Câmara. Na época, secretário geral da CNBB. Assim, a Cáritas brasileira foi fundada em 12 de novembro de 1956 como parte da ação social da igreja e organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.


As orientações do Concílio Vaticano ll marcaram a ação deste organismo eclesial que desde então, vive sobre os valores da pastoralidade transformadora.

A assessora, Márcia Maria afirmou que a missão da Cáritas é testemunhar e anunciar Jesus Cristo. E neste ensejo, o Papa Francisco pontua Que “Cáritas é a carícia da igreja”.
Sob a orientação das Sagradas escrituras, dos Documentos da Doutrina Social da Igreja Católica e pelo encontro pessoal de amor aos pobres a Cáritas foi institucionalizada por Dom Zenildo Luiz na Celebração de encerramento do encontro, na Basílica de Santo Antônio, com a afirmativa bíblica do pastor maior dizendo que “a fé sem obras é morta”. O momento celebrativo foi também marcado pela missa em ação de graças aos 5 anos de ordenação do padre Jair Vieira, Coordenador de Pastoral da Diocese de Borba e também presidente das Cáritas nesta diocese.
Que o amor a Deus e ao próximo venha guiar os agentes deste organismo de Pastoral, no qual encontrará no outro a pessoa de Jesus Cristo.

Fonte : Pastoral de Comunicação da Diocese de Borba – PASCOM

Compartilhe:

Posts Relacionados

Nos Envia uma Notícia