Diocese de Borba ordena mais um presbítero: Rodrigo Bruce de Souza

A diocese de Borba conta com mais um presbítero. No dia 9 de setembro de 2023 foi ordenado na cidade de Autazes pela imposição das mãos de dom Zenildo Luiz Pereira da Silva, Rodrigo Bruce de Souza.

Um momento que “me anima muito como bispo desta diocese”, disse dom Zenildo em sua homilia, uma ordenação que acontece no Ano Vocacional segundo lembrou o bispo local, que destacou a importância da “criação de uma cultura vocacional e de um acompanhamento das vocações”, que definiu como uma missão bonita e profunda, mas árdua.

O bispo lembrou o lema do ordenando, “eu, porém estou no meio de vós como aquele que serve”, afirmando que “se trata de um amor tão grande que na disponibilidade, no desapego, tem coragem de dizer assim, eu estou aqui, eu quero servir, mas não servir com interesse, ou de qualquer maneira, servir como aquele serve”, identificado com Nosso Senhor Jesus Cristo na missa do lava-pés, que “nos ensina o que é kénosis, o esvaziamento de si”.

Dom Zenildo fez um chamado ao novo presbítero a viver a corresponsabilidade dentro da diocese de Borba, que definiu como uma Igreja ministerial, onde “cada um é importante e cada um tem um papel a desempenhar”. O bispo comentou as leituras da celebração, destacando o chamado feito ao profeta Jeremias, algo que ele ligou com a vocação daquele que foi ordenado, a quem disse ser “amado, chamado e agora tocado por Deus para ser instrumento da Palavra, da evangelização”.

Uma ordenação que é uma configuração ao Sumo e Eterno Sacerdote, lembrou o bispo da diocese de Borba que pediu ao padre Rodrigo Bruce que seja alguém feliz, que ama ao povo, lhe recordando que sua vocação nasceu do seu Batismo. Dom Zenildo lembrou a necessidade de operários para o trabalho pastoral, de responder com liberdade e generosidade interior, de ser portador da paz.

Lhe lembrando ao novo presbítero que é chamado a ser padre, o bispo lhe pediu levar muito a sério a vida de oração. Segundo dom Zenildo, o novo padre o será “numa Amazônia ameaçada e em um tempo muito complicado”, marcada pelo crescimento da pobreza, fazendo um chamado a ter proximidade com os pobres; pela violência, que tem crescido de diferentes formas e vai causando conformismo e paralisia; pela indiferença, na política, na vida religiosa.

Dom Zenildo Luiz Pereira da Silva também lembrou ao novo padre quatro amores que ele deve ter: por Jesus Cristo, pelas Sagradas Escrituras, pela Igreja e por Maria. Ele o chamou a que seja um padre pastor, que se preocupa em cuidar, em amar, em defender, em zelar; um padre missionário; um padre ponte, que consiga ligar as realidades e promover novas relações; um padre sinodal, que busca caminhar juntos, em proximidade.

O novo padre lembrou sua história vocacional, que surgiu da necessidade do povo e da Igreja de Borba, agradecendo a aqueles que lhe acompanharam em seu caminho e aos presentes na ordenação e lembrando que o padre não é para si e para o povo de Deus, segundo o pensamento de São João Maria Vianney. Reconhecendo que o caminho vocacional não foi fácil, foi mostrando sua gratidão por tudo o que estava vivendo com sua ordenação.

Crédito :Pe.Luis Miguel Modino, assessor de comunicação CNBB Norte1

Compartilhe:

Posts Relacionados

Nos Envia uma Notícia