Mensagem do Papa Francisco pela Campanha da Fraternidade: “Voltemos o nosso olhar aos afetados pelo flagelo da fome”

A Quaresma é um tempo em que “somos chamados por Deus a trilhar um caminho de verdadeira e sincera conversão, redirecionando toda a nossa vida para Ele”, afirma o Papa Francisco na mensagem enviada ao Brasil com motivo da Campanha da Fraternidade 2023 (Ver aqui). Um tempo em que “encontramos na oração, na esmola e no jejum, vividos de modo mais intenso durante este tempo, práticas penitenciais que nos ajudam a colaborar com a ação do Espírito Santo, autor da nossa santificação”.

O Pontífice lembra que o povo brasileiro é chamado neste ano a “que voltemos o nosso olhar para os nossos irmãos mais necessitados, afetados pelo flagelo da fome”. Lembrando suas palavras aos Movimentos Populares, ele lembra que “milhões de pessoas sofrem e morrem de fome. Por outro lado, descartam-se toneladas de alimentos. Isto constitui um verdadeiro escândalo. A fome é criminosa, a alimentação é um direito inalienável”.

Diante disso, o Santo Padre lembra que “a indicação dada por Jesus aos seus apóstolos “Dai-lhes vós mesmos de comer” (Mt 14, 16) é dirigida hoje a todos nós, seus discípulos, para que partilhemos – do muito ou do pouco que temos – com os nossos irmãos que nem sequer tem com que saciar a própria fome”. Isso porque “indo ao encontro das necessidades daqueles que passam fome, estaremos saciando o próprio Senhor Jesus, que se identifica com os mais pobres e famintos”, segundo nos lembra Mateus 25.

O Papa Francisco chama a ações concretas, que ele vê necessárias, “que venham de modo emergencial em auxílio dos irmãos mais necessitados, mas também gere em todos a consciência de que a partilha dos dons que o Senhor nos concede em sua bondade não pode restringir-se a um momento, a uma campanha, a algumas ações pontuais, mas deve ser uma atitude constante de todos nós, que nos compromete com Cristo presente em todo aquele que passa fome”.

Uma atitude de partilha que pede fazer presente nas paróquias e dioceses, mas também nos órgãos de governo em todos os níveis e nas entidades da sociedade civil, a fim de que, “trabalhando todos em conjunto, possam definitivamente extirpar das terras brasileiras o flagelo da fome”, pois “aqueles que sofrem a miséria não são diferentes de nós”.

Sob a intercessão de Nossa Senhora Aparecida, o Papa envia sua Benção Apostólica a todos os brasileiros e brasileiras, “de modo especial àqueles que se empenham incansavelmente para que ninguém passe fome”.

Credito: Pe. Luis Miguel Modino, assessor de comunicação CNBB Norte1

 

Compartilhe:

Posts Relacionados

Nos Envia uma Notícia